Henner Jordan faz seu circuito. O empresário de Sebnitz na Saxônia vai para uma fazenda

solar, que ele construiu - na República Tcheca. O caminho para o país vizinho, ele faz diariamente.

 

Oton1: Henner Jordan – Diretor da empresa de construção de plantas de Sebnitz na Saxônia

„Antes aqui era a fronteira e a pessoa precisava parar para ser controlada. Hoje em dia pode-se simplesmente passar... É tudo Europa, eu acho isso muito agradável.“

 

A fronteira foi abolida – o que se formou foi uma região comum, que oferece oportunidades e espaco. A Europa está em movimento, a livre circulação é que faz isso possível.

 

Oton2:

„Às vezes a utilizo para fins pessoais, às vezes para a firma, já que tenho funcionários Tchecos.

 

Henner Jordan treina jovens da Alemanha e da República Tcheca, como por exemplo Kolda Martin. Ele foi abordado diretamente pelo Henner Jordan.

 

Oton3:

Kolda Martin – Aprendiz

„Eu disse que sim, que quero tentar isso, porque pra mim é uma boa oportunidade, e com ela posso também aprender alemão.“

 

Oton4:

„No início tínhamos que atuar nós mesmos, principalmente em relação ao sistema de aprendizes, porque o Sistema Dual como conhecemos não é conhecido na República Tcheca. Então fomos às escolas técnicas e fizemos propaganda para nossa empresa e o Sistema Dual.“

 

Hoje é bem mais fácil encontrar jovens talentos. Os viajantes diários são os melhores embaixadores de seus interesses. O fato de os trabalhadores fronteiriços falarem várias línguas ajuda a empresa no mercado, e assim também os colegas alemães em operação.

 

Oton5:

Hana Gröslová – Funcionária Tcheca

„Podemos ensinar muito uns aos outros em nível de Línguas. Eu posso melhorar constantemente e o colega pode de vez em quando aprender uma palavra tcheca.“

 

A Alemanha promove o intercâmbio e através do programa Mobi Pro UE oferece a jovens a chance de uma vaga de formação. Mais de 17.000 jovens da União Europeia já receberam fomento do programa. A taxa de sucesso nas formaturas é alta e as lições aprendidas com o projeto-piloto vão ajudar em iniciativas futuras.

 

Muitas línguas, um mercado único, um mercado de trabalho. Também na região da fronteira francoalemã, do outro lado do país, o movimento de lá pra cá flui harmoniosamente ha tempos. Seja com o bonde de Estrasburgo para Kehl ou de carro para o emprego no Sarre. Muitos negócios na região tiram proveito das fronteiras abertas.

 

Oton6: Dorothee Hahn – gerente de firma metalúrgica em Saarlouis

„Isso quer dizer que nós tiramos muito proveito do mercado único europeu através da eliminação do desembaraço aduaneiro e de outras coisas que eram anteriormente exigidas. Desde então recrutamos grande parte dos nosso funcionários na França.“

 

Menos fronteiras, mais possibilidades. Dezessete mil pessoas vêm diariamente da França ao Sarre, e na região mais de duzentas mil pessoas transitam diariamente entre os países.

 

Oton7: Hervé Boutter – comuta da França para a Alemanha

„Eu posso ir trabalhar na Franca ou na Alemanha. Eu nem tenho a sensação de se tratarem de dois países diferentes. E é por isso que considero a Europa algo positivo.“