Artigo de opinião do Embaixador Dr. Christof Weil "Transição energética: elo central da política externa alemã" publicado no Jornal Económico, a 17 de março de 2017.

Pelo terceiro ano consecutivo realiza-se o Berlin Energy Transition Dialogue de 20 a 23 de março de 2017. A conferência reúne, no Ministério Federal alemão das Relações Externas, os decisores internacionais no âmbito da política energética e externa, da indústria, ciência e sociedade civil, bem como os mais importantes especialistas mundiais em matéria de energia. Estão agendados debates sobre os desenvolvimentos atuais da política energética, as oportunidades de cooperação internacional e de novos investimentos, que contribuam para a transição para um fornecimento energético ecológico, seguro e acessível em termos económicos. Destaca-se, igualmente, o enfoque nos objetivos do Acordo de Paris sobre o clima e as metas climáticas relativas à Agenda 2030. A conferência conta, nomeadamente, com o Ministro Federal das Relações Externas, Sigmar Gabriel, e a Ministra Federal da Economia e Energia, Brigitte Zypries.

A transição energética global constitui um elo central da política externa da Alemanha. O objetivo é diminuir a importação de energias fósseis, para assim evitar conflitos, assegurar o fornecimento de energia e promover a proteção do clima no mundo inteiro. Graças à sua decisão de impulsionar a "transição energética" (nomeadamente através do abandono completo da produção de energia nuclear até 2022), a Alemanha tornou-se internacionalmente pioneira no desenvolvimento das energias renováveis e da eficiência energética. 93 % dos alemães apoiam a promoção das energias renováveis, 66 % consideram que isso é muito ou extremamente importante. Até 2050, em comparação com o ano de 2008, queremos diminuir o consumo energético na Alemanha para metade e garantir que a maioria da energia consumida provenha de fontes renováveis. Em relação ao consumo bruto de eletricidade, a percentagem de "recursos verdes" já cresceu de 6 %, em 2000, para cerca de 30 %, em 2016. A energia eólica e solar destacam-se na produção de energia renovável, mas a biomassa e a energia hídrica também prestam um contributo importante.   

 Porém, os objetivos relativos à transição energética colocam o Governo Federal alemão perante enormes desafios. É necessário, nomeadamente, diversificar as fontes e as rotas de abastecimento de energia, para garantir a segurança do fornecimento e a independência energética. Por outro lado, é preciso assegurar que os custos se mantenham comportáveis para os consumidores. Trata-se de uma tarefa colossal, que a Alemanha não pode enfrentar sozinha, mas apenas através de um esforço coletivo com os seus parceiros internacionais. O Berlin Energy Transition Dialogue contribui para darmos mais um passo em direção a essas metas.

Dr. Christof Weil

Embaixador da Alemanha